01

Fátima (Portugal) recebeu o Programa de Ação Colaborativa da Família Vicentina

No fim de semana de 19, 20 e 21 de janeiro, a Família Vicentina de Portugal reuniu-se em Fátima para a formação do Programa de Ação Colaborativa da Família Vicentina (PAC FAMVIN). O PAC FAMVIN é uma iniciativa internacional da Família Vicentina que pretende “suscitar e estimular os membros da Família Vicentina, pelo mundo, a ampliar a colaboração, a fim de ajudar as pessoas e comunidades a saírem da pobreza”.

Esta formação em Fátima foi a primeira formação dada por formadores portugueses que, em outubro de 2016, fizeram a formação com elementos da equipa internacional da Família Vicentina que estiveram em Portugal e, dessa forma, ficaram não só habilitados, mas também com o dever de transmitir os conhecimentos adquiridos a todos os membros da Família Vicentina de Portugal.

02

A formação do PAC FAMVIN é composta por vários módulos, que têm como objetivo melhorar o serviço que realizamos junto das pessoas que vivem em alguma situação de pobreza e melhorar a eficiência com que se presta esse serviço, introduzindo a vertente da colaboração entre todos os Ramos da Família Vicentina. Os módulos, que são dados por vários formadores, são os seguintes: “O Vicentino como Visionário” (Módulo 1); “O Vicentino como Contemplador” (Módulo 2); “O Vicentino como Colaborador” (Módulo 3); “O Vicentino como Catalisador” (Módulo 4); “O Vicentino como Servidor” (Módulo 5).

Na formação em Fátima, que decorreu na Casa da Medalha Milagrosa, das Filhas da Caridade, estiveram presentes cerca de 40 membros de todos os Ramos da Família Vicentina de Portugal – Congregação da Missão (CM), Filhas da Caridade (FC), Juventude Mariana Vicentina (JMV), Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP), Associação da Medalha Milagrosa (AMM), Associação Internacional de Caridades (AIC) e Colaboradores da Missão Vicentina (CMV) –, bem como colaboradores da Associação de Beneficência Casas de São Vicente de Paulo.

03

A formação teve início na sexta-feira à noite, com acolhimento dos participantes, a cargo da equipa de logística, composta pela Arlete Vieira (CMV) e pela Ir. Maria de Lurdes Morais (FC). Depois do jantar, seguiu-se a apresentação dos participantes, a descrição dos objetivos e das linhas gerais do PAC FAMVIN e das iniciativas internacionais de colaboração da Família Vicentina Internacional.

No sábado, iniciamos os trabalhos bem cedo, com a celebração da Eucaristia, presidida pelo Pe. Álvaro Cunha, CM. De seguida, partimos para o primeiro módulo de formação, a cargo da Fernanda Capitão, da SSVP, que nos falou sobre como o vicentino deve ser um visionário, partindo dos exemplos de São Vicente de Paulo e Santa Luísa Marillac e Frederico Ozanam e Rosália Rendu. De seguida, o Pe. Álvaro Cunha, CM, apresentou o segundo módulo, do vicentino como contemplador. Neste módulo, tivemos a oportunidade de recordar as cinco virtudes vicentinas e de trazê-las presentes para a nossa vida. Na parte da tarde, após o almoço, o António Clemente, da JMV, apresentou o terceiro módulo, partilhando com os formandos as várias estratégias para o planeamento de um projeto vicentino, com o intuito de unirmos esforços e melhorar a eficiência e a eficácia da nossa ação vicentina. Seguiu-se a Ir. Márcia Rocha, que despertou os presentes para a necessidade de o vicentino ser um catalisador, alguém que inspira outras pessoas e que os põe a trabalhar em conjunto. Assim terminou o período de formação no sábado, ao qual se seguiu o jantar. Após o jantar, os participantes da formação rumaram ao Santuário de Fátima, juntando-se aos muitos fiéis na Capelinha das Aparições para a recitação do Rosário, seguida da Procissão das Velas no recinto do Santuário. Rezando, unidos, junto de Nossa Senhora de Fátima… que bela forma de terminarmos o segundo dia de formação.

No domingo, iniciámos a formação com a apresentação do quinto e último módulo, a cargo da Dina da Palma, da AMM. Foi o tempo de os participantes colocarem as “mãos na massa” e criar um projeto de serviço vicentino, um projeto resultante da colaboração entre todos os Ramos. Após a apresentação das várias propostas pelos grupos de formandos, deu-se por encerrada a formação, com a entrega dos diplomas a todos os participantes e com a Eucaristia de ação de graças por estes dias em Fátima, que foram momentos de aprendizagem, de melhor conhecimento de todos os Ramos da Família Vicentina, de entreajuda e de verdadeira colaboração vicentina.

*Texto da Família Vicentina de Portugal